Rosana Gimael Blogueira

domingo, 15 de março de 2015

Cinco anos sem Rodolfinho, meu amigo querido!







Cosmópolis, 15 de abril de 2010.


QUERIDO AMIGO RODOLFINHO














































Hoje faz um mês que você se foi,  faz um mês que você se libertou das dores, do sofrimento.
Você, com essa sua alma musical,  deve  estar flutuando no paraíso que lhe é cabido, cercado de anjos entoando melodias transcendentais ao som de harpas e flautins.
Pensar em você é me transportar  de volta à  infância.
Em “Busca do Tempo Perdido”, de Marcel Proust, o personagem protagonista do livro viaja através dos cheiros que guarda na “memória” para resgatar alegrias antigas. E  eu viajo agora através de você, mistura de cheiros e “sabores” de ternura, alegria, sensibilidade, coragem, refúgio seguro onde me abriguei centenas de vezes.
Passamos a infância toda juntos, você tentando em vão apartar as brigas entre mim e o Zinho, você e eu com D. Estela e D. Nena entre solfejos e acordes ao piano, tocando Chopin a quatro mãos.
Quando angústias e sonhos apontavam na adolescência e juventude, lá estava você por perto,. E lá estávamos nós conversando por horas a fio na esquina do Itaú ou sob o sol escaldante, no Paredão...
Ouvíamos Janis Joplin, identificávamos com a intensidade e vibração da voz dela; amávamos as letras, a melodia e o que ela representava: a ruptura com a acomodação, com a mesmice, com a hipocrisia.  Você  me deu o “bolachão” de vinil dela e, agora, no final da sua caminhada, eu lhe dei o livro autobiográfico. Seus olhos brilharam intensamente e, mesmo sob o efeito  de  pesados remédios que o deixavam em transe,  você sorriu e me disse: “ A qualquer momento as dores passam e eu lerei, com certeza!”
Era 16 de dezembro, eu estava indo pra praia. Foi a nossa despedida se é que podemos chamá-la assim.
Você foi mais que um amigo, foi um irmão. Você fez parte de muitos momentos importantes. Você foi o primeiro a  saber da minha gravidez, o primeiro a dizer: “ Vá em frente, mulher, você é capaz, assuma seu poder, impossível não dar tudo certo!”...
Você participou das festas de aniversário do meu filho e, na primeira delas,  foi você quem fez o bolo (de morango) arrasador para 150 pessoas. .. e ele cresceu  ouvindo  eu falar de você.
Comemorávamos, sempre que  podíamos , as pequenas conquistas, as grandes vitórias.
A você, confiei “segredos” que você levou consigo pra eternidade. Com você, ri, chorei, desabafei, viajei.
Tivemos nossos “altos e baixos” parecidos, identificávamo-nos com muitas coisas, exceto por você não curtir o lado “natureba”da alimentação. Você não conseguia entender como eu conseguia comer tantas maçãs (6 a 8 por dia!) com semente, casca  e tudo...
Você não quis me devolver a foto 3X4 em que apareço estrábica (vesga mesmo!). Você sempre me dizia que quando eu aprontasse alguma, você entraria com ela em cena pra “arrebentar... rsrsrs.
Nos últimos anos, afastada de Cosmos, encontrávamo-nos esporadicamente ora em Paulínia ora em Cosmos , em reuniões entre amigos e familiares e aí, eram horas e horas de papos intermináveis.
Você estava feliz com suas realizações, mais centrado do que nunca, mais forte do que nunca, haja vista a luta que você travou pela vida.
Depois, mesmo debilitado, incentivava-me dando os seus puxões de orelha, ria comigo, ríamos de tudo que tinha ficado pra trás de ruim e comemorávamos onde havíamos chegado – a duras penas.
Falar de você é sentir você plenamente comigo, é saber que tive o privilégio de ter por perto um guardião querido, um herói – menino que, por onde passou, deixou luz,   deixou  carinho, deixou a essência maior: a tradução plena do amor incondicional ao próximo!
E ainda conseguiu me dar de presente a possibilidade de rever pessoas queridas em sua partida, deu-me a possibilidade de“rever” o meu passado e a oportunidade de prosseguir com outros olhos.
É isso. Você é  assim...um anjo inundando luz por onde passa.
Até um dia, meu doce, adorável e inesquecível amigo,   presentaço  de Deus pra mim!!!!
Abraços cheiinhos de muuuita saudade!! De  sua eterna amiga


Rosana  Gimael