Rosana Gimael Blogueira

domingo, 11 de janeiro de 2015

Foto de Breno Brito
                                                               

Até breve, Rio!
F
oram dias pra lá de  interessantes. Foram noites deliciosas. Foi uma viagem reveladora.
Dizem que o melhor da viagem é a volta pra casa. Para o meu estilo de ser, ainda não o  é. Ficaria mais no Rio, ficaria mais tempo por aí. O que muitos cortejam eu não passo nem perto...Quanto mais conforto, quanto mais estabilidade, maior é a acomodação e  o marasmo, maior é a vontade de ficar em casa largada, alheia ao mundo aqui fora...e  menor a  vontade de me arriscar a sair por aí, “sem lenço, sem documento”, me jogando pra vida, pro mundo. O famoso porto seguro,perseguido por tantos, não me fascina, ainda prefiro mares revoltos.  Isso me faz  ativa, é a minha adrenalina. Faz parte da minha natureza ser assim...o desapego foi se instalando muito cedo em mim,  após perdas e perdas de pessoas queridas e de tantas coisas, fazendo com que a minha vida tomasse outros rumos, outros sentidos. Isso não significa que eu não tenha vínculos tampouco seja  uma aventureira inconsequente. È que há muita vida dentro de mim, muita vida aqui fora e isto me fascina por demais. E me instiga sempre a me jogar de cabeça, com a alma e o coração pulsando com fervorosa alegria e prazer desmedido.
Faltam ainda muitos lugares do Rio, do  Brasil a serem explorados antes de eu desvendar outros países... e terá de ser do meu jeito, “mochilando” por aí...
Mas voltando a falar da cidade maravilhosa, a cada vez que aqui aterrisso, novas emoções, novos olhares, novas impressões, novas sensações se instalam dentro de mim de forma arrebatadora, impactante.
Me emocionei  aos  pés do Cristo, me integrei ao verde do Jardim  Botânico, da Lagoa, da Vista Chinesa,  construção em estilo oriental que fica a 380 metros de altura em meio à Floresta da Tijuca, descortinando uma das mais bonitas vistas da cidade, tendo o Cristo, a Lagoa, o Pão de Açúcar e as praias da zona Sul como pano de fundo.
Delirei ao ver Roberto Carlos passeando em uma Lanborghini branca conversível pela orla,  no final do Leblon, acenando carismaticamente a todos;  Du Moscovis gravando um comercial, Luiza Brunet no Shopping de Ipanema fazendo compras de cara lavada, Fernanda Montenegro de rasteirinha na Saraiva, a tal Tessália, personagem de Avenida Brasil,  gravando um comercial da Nívea na praia, Falabella e a diva Marília Pêra almoçando juntos  no Mr. Lam, o chinês da Lagoa.
Me impactei com a exposição das obras impressionistas no CCBB, com o Museu da H.Stern na Garcia D’Àvila, com o CC dos Correios –Elis, Mário de Andrade-Cartas do Modernismo, com o musical  Allô Dolly, no Oi Casagrande, Leblon, com Milton Nascimento e sua voz;  com a Lapa e seus encantos;com o Baixo Gávea e seu charme, com a grandiosidade do Hipódromo e do Porcão, com o centro antigo do Rio, com a Confeitaria Colombo e seus quitutes, com as novidades e cursos na área da estética, com a chegada triunfal (e beeeeeem camuflada da pop star, Madonna) no Fasano;  com Copacabana e seu fervor ( e suas lojas, principalmente a de biquínis- liiindos!), com as butiques de Ipanema, com as feiras na N.Sª da Paz, com a de S. Cristóvão, com a alegria contagiante dos cariocas, com a galera do Arpoador, com a galera do hotel,  com os bares e restaurantes de Ipanema,  com o Pub na Maria Quitéria (onde nos arrebentamos na pista ao som de um metal pesado e outros estilos mais amenos) ; com a diversidade  de gêneros na Farme de Amoedo,  com as pausas na livraria Café com Letras,  com o festival de blues e jazz, com a galera que conheci,  energizante, totalmente demaaaiiiss!!!! 
Amei conhecer novas e interessantes pessoas, adorei estar com os amigos e com meu filho (este me fez uma baita surpresa, aparecendo de repente pra me ver!!!),  na praia sob sol escaldante, de ver o nascer e o pôr do sol no Arpoador, de revisitar São Conrado e o Joá, de comemorar o niver do Vinícius no restaurante da D. Rosa, de rever meu mano Michel e também comemorar seu  niver no Siri da Barra; de  tomar café no Copa, andar de bike, “cair” na noite com Vinicius, Eduardo, Breno, Raphael e meu filho, passear de madrugada no calçadão, tomando água de coco -  isso me remeteu às saídas pós bailes em Cosmópolis  quando pegávamos  pão quentinho na padaria, de madrugada, aos bandos, cantando e rindo muuuito...