Rosana Blogueira

domingo, 11 de janeiro de 2015


A sensação de liberdade é imensa e latente em mim...
    Comprei uma bicicleta. Voltei aos bons tempos...
    Andar de bicicleta não é um desejo novo, mas o resgate de uma paixão antiga.
    Quando criança, em vez de boneca, eu pedi de Natal uma bicicleta e ela chegou linda, vermelha...e varei     a adolescência com ela, com a Monareta  vermelha, pra cima e pra baixo. E aí veio a Caloi com      marchas, com a qual atravessei minha juventude.
    Eu desaparecia pelas ruas de Cosmos,  pelas estradas de terra, com o vento batendo no rosto. Amo o      vento batendo no rosto, despenteando cabelos, ”orbitando” pensamentos. Oscar Wilde dizia que só os    tolos amam o vento. Eu sou uma tola romântica...amo o vento.
Andar de bicicleta é liberdade. Bicicleta é um meio de transporte sem nenhuma amarra, não tem trânsito, não tem combustível, não tem contramão. Qualquer esquina que eu cismo de dobrar me serve, descobrindo, a cada momento, novos lugares.
Garopaba é um convite para pedalar: uma grande planície cercada por montanhas e lindas praias. Tudo é inspirador, até o vento tipo minuano que aqui sopra dia e noite, incessantemente, é inspirador. Aqui, eu ainda não soube o que é suar ... dizem que, mesmo no verão, o vento dá o ar da graça todas as noites...
Pedalar em estradas boas e ser respeitada no trânsito é tuuudo de bom!!!
Pedalar e pedalar tem  sido minha constante prática, entre verdes, muuuitos verdes e azuis, muuuitos azuis. Pegar a minha “esbelta” ( não gosto do nome magrela) e sair por aí , fazendo tudo com ela, de manhã, à tarde ou à noite,  não tem preço.
E ainda tenho a companhia da minha Princesa, uma cadela incrível e seus novos amigos, Marrom e Bandit, que se instalaram comigo aqui,  a poucos metros do mar!
Pedalar sentindo o vento, sentindo a natureza  com todas as suas cores, com toda a sua exuberância, pedalar ouvindo o ruidoso canto dos pássaros é muito mais que prazeroso, é a mais pura e prosaica tradução de liberdade!!!