Rosana Blogueira

domingo, 11 de janeiro de 2015

VERSOS "LUNARES"...

ENLUARANDO..AMORANDO...MARAMANDO!
Seguem versos meus sob a influência da soberana Lua

* “Em minha casa há muitas moradas

Elas vêm e vão no compasso das quatro estações
Trazem consigo suas peculiaridades
Hóspedes contraditórias polêmicas emocionais guerreiras
Sensíveis destemidas ousadas passionais
Necessárias para que eu sobreviva imune ao caos
Que muitas vezes chega sorrateiro dentro de mim
Em meio a falsas verdades
A egos inflados
A amores e desamores intensos
Em meio a paixões desmedidas e descabidas
“In”cabíveis.
Sentimentais sonhadoras idealistas hormonais virais.
Heloise Guinevere Juliette Anita Drusilla
Todas deliciosamente “in”.
E outras há “in”findas dentro de mim
Hera Afrodite Psiquê Eurídice Athenas
Que se duelam e e depois se adulam
Simone Camille Frida Alice Mata Hari
“In”stalam-se dentro de mim
“In”sistem em mim!
E carregam inquietações assombramentos excessos
A falta de bom-senso o desacato a autoridades ineptas
O escancaramento a perplexidade o estranhamento
Completas de vaidades futilidades
E seriedades.
Transbordam em mim
Instaurando-me o repúdio
Ao óbvio
À burrice coletiva
Aos que se travestem de intelectuais arrebanhando simpatizantes
Por causa alguma!
Esmeralda Dulcineia Penélope Florbella Pagu
Elas despejam em mim a negação
Ao falso moralismo à acomodação à violência à hipocrisia à injustiça
Não “imprimem” em mim rótulos vazios
Quaisquer tipos de preconceitos
Discursos reacionários ou pragmáticos
Tampouco a autoafirmação e a autopiedade
Trazem o conflito permanente entre yin e yang
E um verdadeiro embate contra os “ismos”.
Promovem em mim uma constante batalha entre o ego e o self
Fizeram-me elas a ovelha furta-cor do rebanho há muito desgarrada
E não obstante ser eu de Vênus regida por Saturno e fascinada por Mercúrio
Afugentam-me elas da ordem e do traço reto
De uma previsível rotina ...da mesmice!
Habitam em mim trazendo a “ternura de mãos que se afagam“
Um eterno deslumbrar
Um contentar e descontentar
Um encantamento pela vida
Sem par.
(...)
Dentro de mim mora uma hóspede vitalícia
A lua!
Dentro de mim há muitas mulheres
“In”úmeras mulheres de fases!
“In”quietas “in”domadas “ in”conformadas “ in”tangíveis
Contudo
A paz e a doçura
ainda cabem dentro de mim.
Moram em (“in”) mim palavras e palavras
“In”tensa é a que melhor me define
A que diz ”in”pra vida!
Moradas diversas
Hóspedes ** “made in and made of Life”!
...........................................................................
Rosana Outonal rsrsrs
* Ou Um poema não (in) sóbrio de uma noite escura

** Hóspedes “feitas de Vida e feitas na Vida!







Amar você é...

Estar sob uma  cachoeira em dia de verão
(Cantando Summertime) 
e sentir a queda livre sobre mim
Estar no alto da roda-gigante parada lá no alto 
e  sentir um frrrriiiiio na barrigaaaa.
Sair desembestada de bike como criança de dia
Pisar fundo no acelerador em madrugada de lua cheia
Cortejar o vento com a janela escancarada
Acordar de noite e inalar fundo teu cheiro
Ouvir  New Order e querer sair dançando
Querer sugar seus lábios sua boca embalada por La Cumparsita
Querer cantar Enrosca do Fábio Jr no seu ouvido baixinho
Olhar pros seus pés e querer beijá-los o tempo todo
Ter vontade de passear com minha língua pelo teu corpo em noite de verão
Querer te abraçar e te beijar com sofreguidão dia e noite
Ouvir e te ouvir e te ouvir
Mergulhar em águas profundas em alto mar
Me sentir em uma gangorra contra o tempo
Estar em uma  montanha russa ao amanhecer e anoitecer
Querer grudar doidamente  em você
Me enroscar perdidamente no teu corpo sem querer desenroscar nunca
Tomar skibon ouvindo sua risadas  
Me perder no seu olhar e imaginar lindas coisas
Desvendar seus mistérios em seus fluidos
Esquecer  o ontem e incluir você no meu futuro
Fazer planos e  sonhar  e sonhar
Sair deslizando flutuando 
Nos flocos de nuvens
Ver pirilampos.
Conversar com a lua e flertar com o sol
Conter o ciúme  com maestria inimaginável
Ser abobada repetitiva incansável em dizer EU TE AMO  a todo momento
Deixar-me enfeitiçar por seu olhar
Me inspirar assim em  versos trôpegos
Vencer o medo e me jogar pra  vc...
Simples assim!
Lindo assim!
TE AMOOOOOOO!!!!!


* Na gangorra com Cronos

Sob o compasso do deus do tempo
Lento dormente devorador
A espera vai se preenchendo na plenitude do espírito
E se encontra nas cavidades
E nelas se esgota e se perde
No pulsar do sangue
O côncavo procura - em vão - o convexo na noite oca
A distância de oceanos separa amantes
O amor posto que ausente empalidece anêmico
E a dor da saudade sentida
Ecoa latente
Ferindo feito faca afiada
Cravada no sôfrego peito.
Então mergulho em águas cristalinas
E encontro você no azul
E nos beijamos
E de nossas bocas em movimento vivo
Saem peixinhos e flores
Cores e fragrâncias indefiníveis
No tremular das ondas
Sem querer nos mordemos
Essa dor é doce
E se nos afogamos
Num breve absorver simultâneo de fôlego
Essa instantânea morte é bela.
E encerra a noite mais um dia
De ausência diluída em música
Em escritos desmedidos débeis vãos
Em acordes esvaindo-se fluidos no firmamento
E no sentir dos corpos que se clamam e que se ouvem
Cala-se então o desejo no torpor do Beaujolais-Nouveau
E então sinto ali no tinto encorpado e jovem
O teu sabor frutado
O teu tremular contra mim
Como uma lua na água ondeada...

E diante das labaredas da fogueira alta em noite de gelo
Aos pés da montanha
Eu te desenho
E te espero.

* Inspirada pelos clássicos das letras, da música, pela Lua, pelas estrelas, por Apolo...



ORAÇÃO EM NOITE DE LUA CHEIA

Oh, grandiosa Lua, que me ilumina e me afaga em noites plenas de verão! 

Me rendo aos seus encantos, plena de gratidão! E me deleito ao som da singela, porém deliciosa melodia que, por ora, me encanta, me embala, me transporta a outra dimensão...ao mundo das sensações...aos mistérios da alma.


https://www.youtube.com/watch?v=zqIp3bUUENA