Rosana Gimael Blogueira

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

* “Em minha casa há muitas moradas”

Elas vêm e vão no compasso das quatro estações
Trazem consigo suas peculiaridades
Hóspedes contraditórias polêmicas emocionais guerreiras
Sensíveis destemidas ousadas passionais
Necessárias para que eu sobreviva imune ao caos
Que muitas vezes chega sorrateiro dentro de mim
Em meio a falsas verdades
A egos inflados
A amores e desamores intensos
Em meio a paixões desmedidas e descabidas
“In”cabíveis.

Sentimentais sonhadoras idealistas hormonais virais.
Heloise Guinevere Juliette Anita Drusilla
Todas deliciosamente “in”.
E outras há “in”findas dentro de mim
Hera Afrodite Psiquê Eurídice Athenas
Que se duelam e e depois se adulam
Simone Camille Frida Alice Mata Hari
“In”stalam-se dentro de mim
“In”sistem em mim!
E carregam inquietações assombramentos excessos
A falta de bom-senso o desacato a autoridades ineptas
O escancaramento a perplexidade o estranhamento
Completas de vaidades futilidades
E seriedades.

Transbordam em mim
Instaurando-me o repúdio
Ao óbvio
À burrice coletiva
Aos que se travestem de intelectuais arrebanhando simpatizantes
Por causa alguma!
Esmeralda Dulcineia Penélope Florbella Pagu
Elas despejam em mim a negação
Ao falso moralismo à acomodação à violência à hipocrisia à injustiça
Não “imprimem” em mim rótulos vazios
Quaisquer tipos de preconceitos
Discursos reacionários ou pragmáticos
Tampouco a autoafirmação e a autopiedade
Trazem o conflito permanente entre yin e yang
E um verdadeiro embate contra os “ismos”.

Promovem em mim uma constante batalha entre o ego e o self
Fizeram-me elas a ovelha furta-cor do rebanho há muito desgarrada
E não obstante ser eu de Vênus regida por Saturno e fascinada por Mercúrio
Afugentam-me elas da ordem e do traço reto
De uma previsível rotina ...da mesmice!

Habitam em mim trazendo a “ternura de mãos que se afagam“
Um eterno deslumbrar
Um contentar e descontentar
Um encantamento pela vida
Sem par.
(...)
Dentro de mim mora uma hóspede vitalícia
A lua!
Dentro de mim há muitas mulheres
“In”úmeras mulheres de fases!
“In”quietas “in”domadas “ in”conformadas “ in”tangíveis.
Contudo
A paz e a doçura
ainda cabem dentro de mim.

Moram em (“in”) mim palavras e palavras
“In”tensa é a que melhor me define
A que diz ”in”pra vida!
Moradas diversas
Hóspedes ** “made in and made of Life”!
...........................................................................
Rosana Outonal rsrsrs
* Ou Um poema não (in) sóbrio de uma noite escura

** Hóspedes “feitas de Vida e feitas na Vida!